Sobre os finais: o que importa é o que ficou

É difícil entender e aceitar o fato de algumas pessoas passarem pelas nossas vidas apenas por um breve período. Elas chegam, bagunçam nosso mundo e depois se vão. Parece um pouco injusto, não é mesmo? E pode até ser, por um lado, mas é preciso enxergar além do fim. O que importa mesmo é o que ficou dessa curta – ou nem tanto – passagem.

Ao longo de nossas vidas conhecemos milhares de pessoas, dentre amigos, conhecidos, paqueras e namorados. No entanto, dessas, pouquíssimas nos acompanharão por anos a fio. Mas afinal, por qual motivo nos envolvemos tão profundamente com pessoas por um tempo que parece já ser pré determinado?
No decorrer dos meus quase vinte e seis anos tenho observado a importância de cada pessoa que pela minha vida passou. Deus, a vida, o destino ou como você preferir definir, usa pessoas em determinados momentos por motivos certos. Seja para ensinar, para dar estrutura, para te fazer evoluir ou até para te proteger.
É necessário e até vital entender que algumas pessoas chegam, cumprem suas missões em nossas vidas e depois partem. Às vezes, a despedida machuca, mas é preciso aceitar. Não adianta brigar com o destino. Elas não foram feitas para permanecerem e sim, para nos auxiliarem de alguma maneira e depois irem embora.
As pessoas más nos trazem uma lição. As boas, um exemplo. E as de alma, ah, essas mesmo que passageiras, se tornam eternas. Elas nos dão estrutura nos momentos e fases difíceis, nos incentivam a sermos melhores e conseguem transformar nosso pequeno mundo em algo melhor.
Entenda que o que você é hoje tem um pouco – ou muito – de todas as pessoas que já passaram pela sua vida. Portanto, nada foi em vão. Os anos de uma amizade que terminou ou de um relacionamento que não deu certo não foram perdidos. Em todas as conexões interpessoais nós ganhamos.
Quando passamos a compreender que nada precisa durar para sempre para ter significado, passamos a aceitar as despedidas com mais sabedoria. E menos sofrimento! A vida é uma grande metamorfose e algumas pessoas serão lembradas através das nossas muitas fases.
Nunca se revolte por ter acabado. Sinta-se feliz por ter acontecido. Permita-se lembrar das coisas boas que aquela pessoa te trouxe. Pode ser que agora não esteja mais dando certo, mas por muito tempo deu. Por um determinado período aquela amizade ou relacionamento te fez bem e, no final, é isso o que importa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *